O motivos podem variar desde o uso constante de produtos químicos (como detergente) a problemas alimentares.

Além de proteger os dedos de impactos traumáticos, as unhas auxiliam também na apreensão de objectos e auxiliam no tacto. Composta basicamente de queratina, o seu enfraquecimento pode estar directamente envolvido com o hábito de fazer as unhas todas as semanas. A acetona ou qualquer removedor de esmalte resseca muito as unhas, o que as torna quebradiças, sem brilho e com manchas brancas na superfície.

A velha mania feminina de manter as mãos sempre bem feitas e com esmalte pode ressecar as unhas. O ideal seria não pintar todas as semanas e sempre hidratar bem as mãos e as unhas. Para quem não consegue manter as pontas dos dedos “in natura”, uma dica é retirar o esmalte dois dias antes de se refazer as unhas e hidratar bem as mãos.

Mas o hábito de fazer as unhas semanalmente não é o único a danificar as ‘garras’ femininas. “A retirada da cutícula deve ser sempre banida. Ela é a maior protectora da matriz da unha e impede a penetração de bactérias, fungos e substâncias nocivas”, explica a dermatologista Bhertha Tamura. Quando essa matriz é lesada, infecções, defeitos graves e até definitivos podem surgir.

É importante que as unhas estejam sempre protegidas com luvas ou contra traumatismos. Profissionais que dependem diretamente das mãos, como cozinheiros, lavadeiras e digitadores, estão suscetíveis a traumas que podem danificar as unhas.


Cuidados e tratamentos
Para quem tem hora marcada toda semana na manicure e ainda assim reclama de unhas fracas, uma das alternativas é aumentar o tempo entre as idas ao salão de beleza. Com a diminuição do uso de acetonas e removedores, é importante a hidratação constante com cremes à base de uréia. Produtos como esmaltes fortalecedores e óleos tem sua utilidade pela hidratação que conferem, mas, às vezes, são insuficientes.

Há ainda a opção de bases fortalecedoras formuladas pelo dermatologista, que são feitas de carbonato de cálcio, formaldeído e derivados de quinino. Outra opção são os medicamentos por via oral, feitos especialmente de vitaminas derivadas do complexo B. Mas antes de escolher qualquer tratamento, é necessária uma investigação das causas do enfraquecimento das unhas.

Uma alimentação desregrada e carente de nutrientes pode ser o motivo principal do enfraquecimento das unhas, tanto as das mãos como as dos pés. Se o organismo percebe a falta de proteínas, vitaminas e outros nutrientes, ele tende a direcionar esses nutrientes para órgãos essenciais e deixa de utilizá-los para a fabricação de unhas e cabelo.


Sintomas de unhas fracas
- Descamação com início na ponta das unhas

- Unhas quebradiças

- Unhas finas, que dobram fácil

- Unhas com aspecto poroso


Confira algumas dicas para manter suas unhas sempre brilhantes, resistentes e compridas:

- Procure equilibrar a sua alimentação, incluindo vitaminas A, C, E e alguns minerais como Zinco, Ferro e Cálcio;

- Passe, pelo menos duas vezes por semana, uma base fortalecedora;

- Algumas gotinhas de formol no seu verniz comum, também ajudam a fortalecer e a dar mais resistência;

- Aplique diarimente cremes hidratantes, massajando as unhas com movimentos circulares;

- Depois de retirar o esmalte, aplique um pouco de azeite de oliva com um algodão;

- Lime as suas unhas todas as semanas, ao limá-las, está a desgastá-las e o seu corpo vai regenerá-las com mais rapidez;

- Entre uma ida ao salão e outra, deixe as unhas respirarem um pouco, o ideal é retirar o verniz uns dois dias antes de voltar na manicure;

- Os detergentes e outros produtos de limpeza contém químicos que prejudicam as unhas, procure sempre uusar luvas ao mexer com esses produtos;

- Uma outra opção é usar os vernizes fortalecedores formulados pelo dermatologista, que apresentam carbonato de cálcio, formaldeído e derivados de quinino na sua composição.